Santa Branca ou Albina Mártir

Nascida em Cesaréia em 238 foi martirizada na mesma cidade e na noite de 16 de Dezembro de 250, entrando na casa do Pai.

Jovem palestiniana que na perseguição do Imperador Décio sofreu glorioso martírio. O Tirano coroado de Roma percorria as regiões do seu vasto império, disposto a extinguir o Cristianismo condenando à morte e a toda sorte de suplícios os cristãos; chegou a Cesarea na Palestina e ali obrigaram uma virgem cristã, chamada Albina (Branca) a comparecer diante do Imperador, para renegar a Fé em Cristo, ou receber a sentença de morte. A jovem apresentou-se ante o Tribunal com toda a majestosa serenidade e alegria com que os fiéis em Cristo corriam para o martírio e a morte.

Décio ao vê-la tentou seduzi-la para que renunciasse ao Cristianismo. Em vão. Nem promessas, nem ameaças, nada pode vencer a constância e a decidida e firme resolução da Virgem cristã de sempre guardar a virgindade e o amor a Jesus Cristo.

O Imperador indignado mandou que a jovem fosse açoitada cruelmente. Depois prenderam-na em cadeias de ferro e lançaram-na na prisão. Sofreu outros martírios para que fosse obrigada a renegar a Jesus Cristo e a sacrificar aos ídolos pagãos.

Décio viu ser inútil toda e qualquer ameaça ou martírio por mais horroroso para vencer a constância de Branca.

Seu martirio é descrito em um manuscrito conservado na Abadia de Montecassino. O imperador Gaius Messio Quinto Décio ordenou que todos os cidadãos do Império Romano fizessem "o libellum ", ou seja, o ato de lealdade ao imperador e os deuses, sob pena de tortura até a morte.

Albina de Cesaréia por causa do que foi submetido a várias torturas diante dos olhos do Imperador Décio e, por um milagre divino as torturas que sofreu não tiveram nenhum efeito em seu corpo. 

O chumbo derretido foi derramado sobre ela e endurecido ao contato de seu corpo.

Em sua boca tentaram colocar vinagre vertido em água em ebulição e arrefeceu-se ao toque dos lábios.

Albina ainda  foi  levada para mais perto de tochas ardentes. e as tochas acesas foram extintas, ao toque de suas vestes.

Então, foi acesa uma fornalha, foi despida, ungida com óleo e jogada nas chamas. Mas as chamas foram extintas e, em seguida, tentou novamente com tochas acesas, mas todos sem sucesso.

Em seguida, o imperador tentou persuadi-la com bajulação, com ouro e prata, com promessas de poder, mas declarou ser  a noiva de Cristo e perseverou. E então ela foi espancada até ao sangue com paus complicados, no entanto, ainda um outro milagre aconteceu: as varas caíram das mãos dos carrascos, que viram seus membros tornar-se secos.

Finalmente ela foi levada para fora da cidade e foi decapitada.

Durante uma das várias torturas a que foi submetida, exclamou : 

 

"Eu nunca deixarei de confessar a minha fé em Cristo, meu Senhor, em quem a minha alma confia e em cuja honra eu levanto o meu louvor" .

Deposto o Imperador,  Seu corpo, juntamente com o de outros mártires, foi colocado em um barco, e um anjo enviado pelo Senhor levou-os até as praias de Scauri.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!