Santa Sofia

 

(viúva e mártir – ano 130 d.C.)

Santa Sofia, nobre matrona romana cujo nome significa “Sabedoria Divina” teve por filhas as três virgens: Fé, Esperança e Caridade, nomes estes que ela escolheu no batismo pelo amor que dedicava a essas Virtudes Cristãs.

Santa Sofia buscou sempre a perfeição evangélica, sendo agraciada por Deus com o Dom de contemplar as grandezas celestiais, educando suas filhas num reto amor pelas Virtudes, numa época de intensas perseguições ao Cristianismo, por volta do ano 130 d.C., sendo discípulas incondicionais de Nosso Senhor Jesus Cristo, viveram na época da perseguição do Imperador Romano Adriano e seu prefeito Antíoco, que martirizou as filhas em presença de sua mãe, visto que estas pregavam por toda cidade de Roma e arredores a mensagem do Crucificado.

Santa Sofhia, cuja Fé e Fortaleza eram inabaláveis, animava suas filhas a perseverarem na Virtude, mesmo diante dos bárbaros tormentos que lhe foram infligidos pelo imperador, que, fazendo sofrer as filhas, tencionava fazer com que Sofia renegasse sua Fé Cristã.

Santa Fé foi a primeira a ser martirizada, sendo despida, atada de mãos e pés, cruelmente chicoteada, tendo seus cotovelos e tornozelos esmagados à marteladas, em meio aos sorrisos e injúrias do Imperador. Sua irmã, Santa Esperança, também despida, foi lançada lentamente numa caldeira de betume derretido e, por fim, Santa Caridade, de apenas 9 (nove) anos de idade, foi decapitada, seu corpo retalhado e lançado ao fogo.

Santa Sofhia, a tudo assistiu, elevando os olhos ao Céu, na certeza de que suas filhas já contemplavam a visão beatífica concedida aos Mártires da Fé, consumida pela dor, continuou sua vida de intensas Penitências e Virtudes exemplares, arrastando milhares de pessoas ao Cristianismo. Nem mesmo a violência e a tirania contra os Cristãos faziam-na desistir, estava também disposta a dar sua vida por Cristo Rei, por sua Igreja!

Por amor a Jesus Cristo, Santa Sofia perdeu seus bens, sua liberdade e a própria família. Dois meses se passaram em completa agonia, quando Jesus, o grande Mestre, sentindo piedade de sua serva fiel, a fez tombar sem vida sobre o túmulo de suas filhas, ali estava encerrada a vida desta heroína da Cruz, entrava agora Sofhia na Glória eterna acompanhada dos Anjos em festa, recebendo do Senhor singulares dons, entre os quais o de curar pústulas venenosas, enfermidades e toda sorte de males.

Em resumo, sua vida é modelo de Fé e de Virtudes colocadas em prática, Santa e venerada, faleceu aos 30 de setembro do ano 130, em cujo dia voou à Mansão Celestial, tornando-se uma das santas mais populares na Igreja do Oriente, sendo a ela dedicada a magnífica Basílica de Santa Sofia em Istambul na atual Turquia, hoje dominada pelos muçulmanos que a transformaram em museu nacional.

Seu Santuário na Itália localiza-se na cidade de Poderia-Salerno, e no Brasil na cidade do Rio de Janeiro, no bairro de Cosmos, Igreja esta construída pelo então comendador Serafim Sofia, grande devoto desta santa.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!