Aparições em Quito - Equador - Nossa Senhora do Bom Sucesso

No final do séc. XVI e no séc. XVII, Nossa Senhora previu, mediante uma série de aparições e revelações ocorridas no Equador, catástrofes espirituais e materiais para o  século XX.

O rosto da imagem de Nossa Senhora do Bom Sucesso reflete grande majestade


 

Francisco del Castilho estava atônito. Viera dar a última demão à imagem que esculpira e não só a encontrara terminada, mas transformada até nos entalhes.

“Madres! esta imagem não é obra minha, mas angélica”, exclamou tomado de temor reverencial.

Madre Mariana de Jesus Torres e suas monjas sabiam que isto era verdade.

A imagem de Nossa Senhora do Bom Sucesso, que o hábil escultor iniciara, fora milagrosamente terminada por Anjos que entoavam o hino Salve Sancta Parens, ouvido por toda a Comunidade…

 

Não era a primeira vez que Mariana de Jesus Torres y Berriochoa, uma das sete espanholas fundadoras do Monasterio Real de la Limpia Concepción, em Quito, deparava-se com um fato dessa natureza.

 

Sua vida, desde os 13 anos de idade, não tinha sido senão um contacto contínuo com o sobrenatural.

 

As aparições de Nosso Senhor, de Sua Santa Mãe, de Santos e de demônios, eram-lhe freqüentes. A essa filha de Santa Beatriz da Silva foi desvendado o futuro como a poucos. E as revelações que lhe foram feitas, sobretudo as concernentes aos nossos dias, impressionam pela precisão, riqueza de detalhes e semelhança com as de Fátima.

 

“Sou Maria do Bom Sucesso, Rainha do Céu e da Terra”

 

Foi a 2 de fevereiro de 1594 que a Santíssima Virgem apareceu pela primeira vez à então Priora das Concepcionistas na capital equatoriana. Comemora-se, pois, a 2 de fevereiro a festa litúrgica dessa admirável invocação mariana.

 

 

Madre Mariana, com a fronte em terra, com lágrimas e suspiros, suplicava à Divina Majestade remédio para os muitos males que afligiam aquela colônia e seu convento.

 

Ouviu então uma voz celestial que a chamava pelo nome. Viu à sua frente Nossa Senhora refulgindo em meio a imensa claridade. Trazia o Menino Jesus no braço esquerdo, e um báculo de ouro na mão direita.

 

“Sou Maria do Bom Sucesso, Rainha dos Céus e da Terra”, declarou-lhe a Mãe de Deus. “Tuas orações, lágrimas e penitências são muito agradáveis a nosso Pai celestial. Quero que fortaleças teu coração e que o sofrimento não te abata. Tua vida será longa para glória de Deus e de sua Mãe, que te fala. Meu Filho Santíssimo te presenteia com a dor em todas as suas formas. E, para infundir-te o valor que necessitas, toma-O de meus braços nos teus”.

 

Ao tomar o Menino Jesus nos braços, sentiu um desejo maior de sofrer e de se consumir como vítima para aplacar a Justiça Divina, se possível, até o fim do mundo.

 

Na seguinte aparição, em 16 de janeiro de 1599, Nossa Senhora deu-lhe conhecimento de vários fatos futuros. E declarou a Madre Mariana de Jesus:

 

“É vontade de meu Filho Santíssimo que tu mandes executar uma estátua minha tal qual me vês, e a coloques sobre a cátedra da Priora para que daí governe meu Mosteiro. Que os mortais entendam que Eu sou poderosa para aplacar a Justiça Divina e alcançar piedade e perdão a toda alma pecadora que a mim recorra com coração contrito. Porque eu sou a Mãe de Misericórdia, e em mim não há senão bondade e amor”.

 

Durante os anos seguintes, Madre Mariana sofreu um terrível calvário e foi só a 5 de fevereiro de 1610 que o escultor foi chamado.

 

Francisco del Castilho, espanhol de nobre linhagem, vivia santamente em Quito com a esposa e três filhos. Recebeu a encomenda como uma graça do Céu. E a 9 de janeiro seguinte declarou que a imagem estava praticamente pronta.

 

Faltava a última demão de pintura. Ele iria procurar as melhores tintas existentes na Colônia, e voltaria no dia 16 para concluir o trabalho.

 

São Francisco e os três Arcanjos refazem a Imagem inacabada

 

Na madrugada desse dia, quando as religiosas se dirigiram ao Coro para rezar o Ofício, encontraram-no todo iluminado por luz sobrenatural, e ouviram vozes angélicas que cantavam o “Salve Sancta Parens”.

 

Da Imagem inacabada saíam raios vivíssimos. A pintura-base aplicada por Del Castilho caía ao solo junto com aparas de madeira, os traços da Imagem tornavam-se mais suaves e sua fisionomia mais celeste. Mas somente Madre Mariana via que, como pedira, São Francisco e os três Arcanjos refaziam a Imagem.

 

Francisco del Castilho não se limitou a dizer que a Imagem não era obra sua, mas de Anjos. Lavrou um documento no qual repetia tal afirmação sob juramento, declarando ainda que a encontrara terminada de maneira diferente da que deixara.

Entregou o documento às religiosas para perpetuar a prova do milagre.

 

 

Nossa Senhora do Bom Sucesso profetiza sobre os séculos XIX e XX

Madre Mariana contou pessoalmente os detalhes do ocorrido ao Bispo de Quito.

E acrescentou algo que nos diz muito respeito: o sucedido, bem como sua vida, só seriam revelados no século XX, por causa da “muita decadência da Fé” (II, 41) e do papel que deveria ter então essa invocação de Nossa Senhora do Bom Sucesso.


– “É vontade de Deus reservar esta invocação e tua vida”, dissera-lhe Nossa Senhora em outra ocasião, “para aquele século, quando a corrupção de costumes será quase geral e a luz preciosa da Fé estará quase extinta” (II, 193) (2).


E, em uma aparição de Nossa Senhora a 8 de dezembro de 1634, a Rainha do Céu e da Terra assim profetizou a Madre Mariana: “O meu culto sob a consoladora invocação do Bom Sucesso …. será a sustentação e salvaguarda da Fé na quase total corrupção do século XX” (II, 190).

 


Profecias já realizadas

Para se avaliar a credibilidade de previsões feitas por uma pessoa, abarcando épocas diferentes, é de boa lei considerar se algumas já se cumpriram e de que modo.

No caso de Madre Mariana de Jesus Torres, é historicamente comprovado que a maior parte das revelações que Nossa Senhora lhe fez se cumpriram.

E com tanta exatidão, que não seria prudente pôr em dúvida o que ainda está por se realizar.

 


– Independência do Equador

Entre essas várias revelações, citamos a da aparição de 16 de janeiro de 1599:

“A pátria em que vives deixará de ser Colônia e será República livre, conhecida pelo nome de Equador. Então necessitará de almas heróicas para sustentar-se através de tantas calamidades públicas e privadas” (I, 67)).

 


– “Presidente verdadeiramente cristão” que receberá a palma do martírio

 

 

Mais de uma vez a Virgem profetiza a vinda do heróico Presidente equatoriano Garcia Moreno e de seu martírio, em termos muito elogiosos. Na mesma aparição afirmou:


“No século XIX haverá um presidente verdadeiramente cristão, varão de caráter, a quem Deus Nosso Senhor dará a palma do martírio na praça onde está este meu convento. Ele consagrará a República ao Divino Coração de meu Filho Santíssimo e esta consagração sustentará a Religião Católica nos anos posteriores, os quais serão aziagos para a Igreja” (Id).

 

– Proclamação dos dogmas da Imaculada Conceição e da Assunção de Nossa Senhora

 

Na aparição de 2 de fevereiro de 1634, Nossa Senhora do Bom Sucesso entregou o Menino Jesus a Madre Mariana. Este revelou-lhe:

“O dogma de fé da Imaculada Conceição de Minha Mãe será proclamado quando mais combatida estiver a Igreja e encontrar-se cativo meu Vigário (3). Do mesmo modo [será proclamado] o Dogma de fé do Trânsito e Assunção em corpo e alma aos Céus de minha Mãe Santíssima” (II, 87).

 

– O Santo Cura d’Ars

 

Na última aparição à sua fiel serva, em 8 de dezembro de 1634, ao falar da decadência do Clero no século XX, Nossa Senhora anunciou também a presença do Cura D’Ars nestes termos:

“Os sacerdotes, a partir do século XIX, deverão amar com toda a alma João Maria Vianney, um servo meu que a Bondade Divina prepara para com ele agraciar aqueles séculos como modelo exemplar do sacerdote abnegado” (II, 191).

 

– Canonização de Madre Beatriz da Silva

 


Em seu testamento espiritual, Madre Mariana de Jesus, falando da ligação das Concepcionistas com os Franciscanos, afirma às suas filhas:

“Quem pretender prescindir de Francisco e Beatriz (Fundadora das Concepcionistas) não pertencerá à real e verdadeira Ordem Concepcionista Franciscana. E, portanto, nem este santo Pai Francisco nem a Santa (sic) Beatriz as reconhecerão por filhas. Esta subirá aos altares no século XX” (II, 220).

* * *

 

–Profecias que se estão cumprindo ou por se cumprir: a Revolução

 

Para indicar o agente da crise tão catastrófica que descreve em suas profecias sobre os séculos XIX e XX, Nossa Senhora do Bom Sucesso se refere às heresias em geral e às seitas, ou simplesmente à seita.

Essas heresias ou seitas teriam poder para estender suas garras desde o recinto sagrado do Templo até o lar, influenciando perniciosamente todos os campos da atividade humana.

– Libertinagem, impureza, corrupção das mulheres e crianças

 

“…Extravasarão as paixões e haverá total corrupção dos costumes por quase reinar satanás …. , o qual visará principalmente a infância a fim de manter com isto a corrupção geral. Ai dos meninos desse tempo! Dificilmente receberão o Sacramento do Batismo e o da Confirmação (II, 5).

 

A seita, havendo-se apoderado de todas as classes sociais, “possuirá sutileza para introduzir-se nos ambientes domésticos, que perderão as crianças (4). Nesse tempo infausto mal se encontrará a inocência infantil. Desta forma perder-se-ão as vocações para o sacerdócio e será uma verdadeira calamidade” (II, 135).

 

– A virgindade praticamente desaparecerá

 

“A atmosfera saturada do espírito de impureza que, à maneira de um mar imundo, correrá pelas ruas, praças e logradouros públicos… Quase não haverá almas virgens no mundo. A delicada flor da virgindade, tímida e ameaçada de completa destruição, luzirá de longe” (II, 135).

 

– Porta aberta para o divórcio, concubinato, filhos ilegítimos, educação laica…

 

“Quanto ao Sacramento do Matrimônio, que simboliza a união de Cristo com a Igreja, será atacado e profanado em toda a extensão da palavra. …. Impor-se-ão leis iníquas com o objetivo de extinguir esse Sacramento, facilitando a todos viverem mal (5), propagando-se a geração de filhos mal-nascidos, sem a bênção da Igreja. Irá decaindo rapidamente o espírito cristão.

“Apagar-se-á a luz da Fé até se chegar a uma quase total e geral corrupção de costumes. Acrescidos ainda os efeitos da educação laica, isto será motivo para escassearem as vocações sacerdotais e religiosas” (II,6 e 7).

 

 

– Dar-se-á pouco valor à Extrema-Unção

 

“Nesse tempo o Sacramento da Extrema Unção, posto que faltará nesta pobre Pátria o espírito cristão, será pouco considerado. Muitas pessoas morrerão sem recebê-lo por descuido das famílias…

 

– A Sagrada Eucaristia será profanada e calcada aos pés

 

“O mesmo sucederá com a Sagrada Comunhão. Mas, ai! quanto sinto ao te manifestar que haverá muitos e enormes sacrilégios públicos e também ocultos de profanação da Sagrada Eucaristia. …. Meu Filho Santíssimo ver-Se-á jogado ao chão e pisoteado por pés imundos”.

 




 



 

Crise da Fé, crise na Igreja

Por sua especial importância, trataremos a matéria abaixo aparte. Para nós, católicos, é forçoso relacionar a crise religiosa e moral em que afundou o mundo com a decadência verificada nas fileiras do Clero e das Ordens religiosas.

Sendo o Clero o sal da terra e a luz do mundo, como disse Nosso Senhor, se tal luz deixa de iluminar, que resultado se obtém senão o aparecimento das trevas?

Foi, de certo modo, o que Nossa Senhora do Bom Sucesso revelou a Madre Mariana de Jesus. Senão vejamos:

– Muitas nações são castigadas pelos pecados dos sacerdotes e religiosos

“Saiba ainda que a Justiça Divina costuma descarregar castigos terríveis sobre nações inteiras, não tanto pelos pecados do povo quanto pelos dos Sacerdotes e religiosos, porque estes últimos são chamados, pela perfeição de seu estado, a ser o sal da Terra, os mestres da verdade e os pára-raios da Ira Divina” (II, 186).

– Por quererem servir às meias, serão renegadas por Deus

O Menino Jesus revelou a Madre Mariana que muitas almas religiosas e sacerdotais “querem servir-Me às meias, conservando seus caprichos e gênios, em tudo satisfazendo suas vontades e tomando liberdades incompatíveis com seu estado e profissão. Eu não as tolero; nada pela metade me agrada. Eu as abandono e deixo que sigam todos os desejos de seu coração pervertido para desconhecê-las diante de Meu Pai Celeste. Ai daqueles e daquelas!” (II, 93).

– Calar-se-á quem devia falar

“Quase não se encontrará a inocência nas crianças nem pudor nas mulheres, e nessa suprema necessidade da Igreja, calar-se-á aquele a quem competia a tempo falar” (II, 7).

Essa grave omissão é repetida por Nossa Senhora na aparição seguinte, em 2 de fevereiro de 1610:

“Campearão vícios de impureza, a blasfêmia e o sacrilégio naquele tempo de depravada desolação, calando-se quem deveria falar” (II, 17).

– Os que deveriam defender os direitos da Igreja dão as mãos aos seus inimigos

E Nossa Senhora faz à sua dileta filha esta declaração terrível:

“Tempos funestos sobrevirão, nos quais …. aqueles que deveriam defender em justiça os direitos da Igreja, sem temor servil nem respeito humano, darão as mãos aos inimigos da Igreja para fazer o que estes quiserem” (II, 98).


Quando tudo parecer perdido, será o início do triunfo da Santa Igreja

Como em Fátima, após a previsão de catástrofes para a Igreja e a civilização cristã, é prevista uma vitória.

Assim, ao tratar da propagação das heresias nos séculos XIX e XX, Nossa Senhora do Bom Sucesso revela a Madre Mariana de Jesus Torres:

“O pequeno número de almas que guardará o tesouro da Fé e das virtudes sofrerá um cruel, indizível e prolongado martírio. Muitas delas descerão ao túmulo pela violência do sofrimento e serão contadas como mártires que se sacrificaram pela Igreja e pela Pátria.

“Para a libertação da escravidão dessas heresias, aqueles a quem o amor misericordioso de meu Filho Santíssimo destinará para esta restauração, necessitarão de grande força de vontade, constância, valor e muita confiança em Deus. Para pôr à prova esta fé e confiança dos justos, haverá ocasiões em que tudo parecerá perdido e paralisado. Será, então, o feliz princípio da restauração completa” (II, 134).

E, logo após o trecho sobre a prevaricação verificada nas fileiras do Clero, Nossa Senhora afirma:

“Ora com instância, clama sem cansar-te e chora com lágrimas amargas, pedindo ao Pai Celeste que Se compadeça de seus Ministros e ponha termo quanto antes a tempos tão nefastos, enviando a esta Igreja o Prelado que deverá restaurar o espírito de seus sacerdotes.

“A esse filho meu muito querido, amamos meu Filho Santíssimo e Eu com amor de predileção, pois o dotaremos de uma capacidade rara, de humildade de coração, de docilidade às divinas inspirações, de fortaleza para defender os direitos da Igreja e de um coração terno e compassivo.

“Em sua mão será posta a balança do Santuário para que tudo se faça com peso e medida, e Deus seja glorificado”.

 


Para retardar a vinda desse Prelado, o demônio e seus asseclas provocarão, com seus vícios, “toda sorte de castigos como a peste, a fome, disputas internas e com outras nações e a apostasia, causa de perdição de um considerável número de almas. …. Haverá uma guerra formidável e espantosa… Esta noite será horrorosíssima, porque humanamente o mal parecerá triunfante.

“Será chegada então a minha hora, em que eu, de forma maravilhosa, destronarei o soberbo e maldito satanás, calcando-o debaixo dos meus pés e acorrentando-o no abismo infernal. Assim, a Igreja e a pátria estarão, por fim, livres de sua cruel tirania”.

Quem será esse Prelado santo? Já anteriormente, na aparição de 1599, Nossa Senhora se tinha referido a ele como sendo provavelmente o Bispo de Quito:

“Vindos os tempos de ouro para este meu Mosteiro, será feliz e premiado de Deus aquele Prelado, filho meu tão querido, o qual, conhecendo com luz divina a necessidade da sujeição imediata aos [Frades] Menores [isto, aos religiosos franciscanos] para a santificação e perfeição das filhas de minha Imaculada Conceição, pedirá ao Vigário de Meu Filho na Terra que os Menores governem este mosteiro. …. Este dia virá quando a corrupção dos costumes no mundo parecer chegar ao ápice…”.

 

Portanto, essa previsão parece ser restrita a Quito.

Noutra aparição Nossa Senhora também fala do triunfo da Igreja, e menciona um filho eleito. Mas não se refere a um Prelado, como também não diz se é a mesma pessoa. O que é certo é que ele surgirá quando o mal parecer triunfante e “a autoridade” prevaricar.

“Mas quando parecerem triunfantes e quando a autoridade abusar de seu poder cometendo injustiças e oprimindo os débeis, próxima está sua ruína, cairão por terra estatelados.

“E a Igreja, qual terna menina, ressurgirá alegre e triunfante, e adormecerá brandamente, embalada em mãos de hábil coração maternal do meu filho eleito, muito querido, daqueles tempos. Fá-lo-emos grande na Terra e muito maior no Céu, onde lhe temos reservado um assento muito precioso. Porque, sem temor dos homens, combateu pela verdade e defendeu impertérrito os direitos de sua Igreja, pelo que bem o poderão chamar mártir”.

­­­­­­­­­­­____________________

Notas:

1) Este documento e outros de altíssimo valor — como a biografia das santas Fundadoras do Mosteiro Real da Limpa Concepção, de Quito, que constituem o chamado Cuadernón, e a autobiografia de Madre Mariana de Jesus — foram guardados em orifício de uma das paredes do mencionado convento durante a guerra da Independência, e que ninguém mais soube identificar. A santa Abadessa revelou às suas filhas o futuro desaparecimento desse tesouro, e que somente com muita oração e sacrifício poderiam as monjas posteriores obter de Deus a graça de reencontrá-lo, o que até hoje não se deu.

2) O presente artigo baseou-se na obra Vida Admirable de la Rda. Madre Mariana de Jesús Torres, española y una de las fundadoras del Monasterio real de La Limpia Concepción en la Ciudad de Quito, escrita em torno de 1790 por Frei Manuel Sousa Pereira, O.F.M., em dois tomos.

Este autor era português, militar, de família ilustre por seu sangue e por sua posição sócio-econômica. Deveu sua conversão à leitura de uma vida de Madre Mariana de Jesus. Entrou para a Ordem dos franciscanos em sua terra natal. Foi ordenado sacerdote na Espanha, em 1777. Pouco tempo depois, foi mandado para Quito, onde tornou-se confessor de diversas concepcionistas.

Ele, por sua vez, para escrever essa biografia, teve em suas mãos o Cuadernón, ainda não desaparecido, e muitos outros documentos fidedignos. Nas citações, o número romano refere-se ao Tomo, e o arábico, à página.

3) Nessa época, com a invasão da Cidade Eterna pelas tropas revolucionárias, Pio IX teve que se refugiar em Gaeta, de 1848 a 1850. O dogma da Imaculada Conceição foi proclamado em 8 de Dezembro de 1854, em Roma. Entretanto, sua volta para Roma não significou que o ódio e as maquinações contra o Papa tivessem cessado. Muito pelo contrário (vide Historia de la Iglesia Católica, Bernardino Llorca S.J., Ricardo Garcia Villoslada S.J., vol. IV, Biblioteca de Autores Cristianos, Madrid, 1951).

4) Não parece ser essa uma clara alusão à TV imoral e a seus perniciosos efeitos?

5) A conspurcação do Sacramento do Matrimônio não poderia ter chegado ao seu ápice sem a aprovação, em diversos países, do assim chamado casamento homossexual.

 

Corpo de Madre Mariana

 

O SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ, POR MEIO DO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIXA LANÇOU O NOVO FILME QUE RELATA ESTAS APARIÇÕES.

EM BREVE ESTARÁ DISPONÍVEL TAMBÉM AQUI.

ADQUIRAM-NO DIRETAMENTE NO SANTUÁRIO.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!